sábado, 30 de outubro de 2010

Um pouco de poesia

4º Motivo Da Rosa
Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.
Rosas verá, só de cinzas franzidas,
mortas, intactas pelo teu jardim.
Eu deixo aroma até nos meus espinhos
ao longe, o vento vai falando de mim.
E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

Cecília Meireles

2 comentários:

ana mayda disse...

So deus poderia fazer assim
Nascer lindas flores num unico jardim!

Te amo girassol!!!

catharina disse...

5º motivo da rosa

Antes do teu olhar, não era,
nem será depois, - primavera.
Pois vivemos do que perdura,

não do que fomos. Desse acaso
do que foi visto e amado:- o prazo
do Criador na criatura...
(...)
Mas não chores, que no meu dia,
há mais sonho e sabedoria
que nos vagos séculos do homem.
(cecília meireles)